Telefone / WhatsApp:
(34)99151-2101

A relação dos contratos e termos de uso da internet

Uberlândia, 30 de abril de 2017 ás 17:48.

Com o advento da internet a maneira com que os consumidores se relacionam com as empresas pela internet mudou completamente o perfil de consumo.

O aumento da adesão aos Smartfones com acesso a internet móvel deixou o consumidor conectado 24 horas por dia, tornando assim a vida cada vez menos privada já que informações são captadas a todo momento por empresas de tecnologia, sendo até mesmo comercializadas através de seu banco de dados.

Outro fenômeno que tem aparecido e que as pessoas estão se isolando fisicamente umas das outras, pela quantidade de informação na rede de absorção e não interpretação das mensagem as pessoas tem se tornado menos criticas em relação ao ambiente que as rodeia.

Se por um lado, a quebra de privacidade tem deixado os consumidores mais vulnerais sobre sua intimidade pessoal , por outro lado as gigantes da tecnologia tem se aproveitado para comercializar as informações com o discurso de que entregam valor ao usuário através de publicidade s segmentadas.

Os termos de usos dos sites não são negociáveis, é adesão, ou seja se o consumidor não concorda  não resta outra opção a não ser cancelar o uso, pois não haverá exceções, e é neste quesito que é necessária um intervenção estatal.

Estes dados estarão sujeitos a reparação por danos caso sejam vazados pela empresa , seja de forma intencional ou não, se o consumidor for de fato prejudicado em seus direitos devem portanto ser indenizados.

O intuito é buscar o controle destas cláusulas que são abusivas, e o consumidor na condição de hipossuficiente deve estar amparado por órgãos reguladores, pois um único individuo é incapaz de confrontar contra empresas como Google ou mesmo Facebook.

Estes termos de uso onde os consumidores são obrigados a concordar são uma via de mão única onde só a empresa ganha, pois faz com que o indivíduo autorize a vender sua privacidade.
A legislação veio aprimorar com as evolução da sociedade , e também com a internet, indispensável nos dias de hoje, conhecida como Marco Civil da Internet.

Essa política de privacidade que autorizamos acaba passando batida na maioria das vezes, pois alem de não ter destaque  o desinteresse dos consumidores colabora com esse sistema vicioso.

Assim os indivíduos não abrem mão apenas de informações como nome, data de nascimento, mas também fotos e pontos do GPS em que esteve . E estes dados são coletados.

A internet agora chega em um momento que parte para a chamada internet das coisas, ou seja , os objetos serão conectados a internet fornecendo dados. Eletrodomésticos, carros, vestuários , etc coletarão e repassarão informações as grandes companhias, e isso trará mais exposição da intimidade e proteção pessoal.

Pela nossa legislação é permitida a coleta apenas quando o usuário consente com o termos, porem na pratica caso não concorde não poderá utilizar o aplicativo e compartilhar dos benefícios, assim de a legislação precisa novamente se reinventar e proteger o consumidor em sua intimidade para que ele também não abra mão do uso das redes sociais, que é indispensável na atualidade.

Compartilhe:Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0